Involuntário

agosto 19, 2012

Viver, meu caro amigo,
é ato involuntário.
Nascer é pura sorte
morrer, mero acaso.
Viver, meu caro amigo,
é ato involuntário.

Comer é necessário,
a fome causa dor.
A dor é involuntária
e a comida faz cocô.
Viver, meu caro amigo
é querer parar a dor.

Viver, meu caro amigo,
é ato involuntário.
Nascer é pura sorte
morrer, mero acaso.
Viver, meu caro amigo,
é ato involuntário.

O ar não é culpado,
nem o ar, nem o pulmão.
Até desmaiado se respira
e dormindo bate o coração.
Viver , meu caro amigo
é escolha do pulmão.

Viver, meu caro amigo,
é ato involuntário.
Nascer é pura sorte
morrer, mero acaso.
Viver, meu caro amigo,
é ato involuntário.

Pensar é acidente,
falar é o que se faz.
Dormir é inconsciente
sonhar é ser capaz.
Viver, meu caro amigo
é fazer que se faz.

Viver, meu caro amigo,
é ato involuntário.
Nascer é pura sorte
morrer, mero acaso.
Viver, meu caro amigo,
é ato involuntário.

Anúncios

2 Responses to “Involuntário”

  1. Barbara Says:

    Adoro receber seus poemas por e-mail

  2. Áurea Says:

    Ser tão criativo e sensível é involuntário? Como a Bárbara, também me deleito com
    seus poemas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s