Pelos velhos tempos

maio 31, 2012

Diga que sente saudades
e talvez nem isso.
Me mande um sinal, afinal
sou apenas humano.

Escreva uma carta longa
ou uma mensagem.
Pergunte de minha vida,
minhas viagens…
Mostre que ainda lembra de mim.

Me olhe, me procure, me seduza.
Não se esqueça de mim,
vê se me procura!
Pode me acordar, eu não me importo.

Me canso de andar solto…
É pouco, vagar sozinho.
É triste querer carinho
e vê-lo gasto em outro.

Me canso de tanta saudade
é um trabalho quase diário.
Lembrar é apenas maldade
querer é só o que faço.
Não sou de aço;
meu sorriso é só disfarce.

Anúncios

Multidão

maio 1, 2012

Minha caneta agora pinta
um quadro-poema-musical
em homenagem à arte
que artistas fazem
Sem serem percebidos como tal.

Pinto de tinta azul e rasurado
um poema cinema-simples
querendo ser atuado.

Pinto esta tatuagem não sozinho,
um exército de milhões
afinam suas tintas desconhecidas
e filmam suas versões
futuramente esquecidas
do e para o mundo.