Aurevoir

abril 30, 2009

 É tão raro seu gosto em mim que às vezes parece mentira
ou parece que nunca senti seu sabor.
Ó! Mundo maldito que não avisa quando virá o finito.
Minha boca aguava num simples pensamento
meu desejo!
Ah! Que euforia!
Mas agora que se foi…
Não há mais euforia
e sei que não sentirei a alegria
de beber mais uma vez daquela xícara
do café mais gostoso no qual o sabor quase viscoso começa a ser sentido pelo nariz…
Longo os dias vividos no qual bebia o saudoso café paris.

É o fim do lugar onde cresci
É o fim da árvore que subia
E fim da sala dos professores
Da quadra, da infância minha

Não importam minhas memórias
Menos de como e onde foram
Memórias outras histórias
Memórias de mais um infante

Quem quebra a escola não liga
Destrói aos poucos com marretadas
Ele quebra porque alguém dita

Ele quebra sem perceber nada
Quero que alguém vá lá e diga
Essa escola foi minha casa.

Assim seja

abril 27, 2009

Se eu sou a imagem semelhança de Deus
e sou a imagem semelhança dos meus pais
Deus é/são meus pais.

Eles me criaram
neles eu acredito.
Amém.

tomei chuva hoje
com um grande propósito:
Chegar em casa molhado
completamente encharcado
para sair tirando a roupa
enrolar-me numa toalha
esquentar uma bela sopa
e tomá-la numa caneca sentado na cama enrolado em cobertas.

Acabou estragando…

abril 27, 2009

Uma coisa, de todas as outras, posso ter certeza
o amor que eu guardava, estragou na geladeira.

Tenho que escrever rápido
logo logo, terei que dormir
e, dormindo, talvez sonhe
em um poema um pouco melhor.

A chuva não é a chuva.

abril 24, 2009

Tem vezes que eu esqueço da chuva
e paro para viver um pouco
penso em outras pessoas
tento outros romances

mas sempre acontece um esbarrão
uma topada, tropeçada, uma cambaleada
que me taca de cara na água
mergulho nas poças do chão

só então lembro da chuva
e fico horas pensando
passeando pelas memórias
horas… com as lembranças
sóbrias
de um delírio perdido

delírio agora cansado
porém insistente
e latente
e inútil.

Então olho a chuva
me faço de velho
me ponho em inverno
não saio de casa
não amo mais nada
e abraço a minha sombra.

É comigo?

abril 15, 2009

Olhei pra trás
olhei pra você
apontei meu indicador para o peito
e perguntei:
É comigo?

Porque se for: Será o fim desse vão maldito!

It´s ok sentir saudade

abril 14, 2009

It´s ok sentir saudade
c´est vrai, c´est la vie
é viver.

And don´t venha
pas diga
que you want to oblier
que you want to salir…
No tengas medo
de chorar
to cry
to want
voulez-vous?
Então venha
it´s ok sentir saudade.

Sal de Frutas

abril 8, 2009

Quando a azia bate
não há água que baixe
toda a ardência e desconforto
dos ácidos gástricos de um violento refluxo
graças a um cigarro
um salgado
uma cerveja
e um esôfago bichado.

Mamãe já dizia:
Tome um sal de frutas
beba espumante como champanhe
é bom para acalmar azia
é quase um remédio de bruxas!
Além de ser um calmante
é melhor que uma endoscopia.

abril 5, 2009

Poema recitado no dia 04/04/09 no Cineclube Buraco do Getúlio.

Correnteza / O corpo contra a pedra